domingo, 8 de setembro de 2013

Saber abortar um mergulho é uma arte

Caros amigos,

O post de hoje é dedicado a falar sobre um ponto muito importante dentro do mergulho, é sobre abortá-lo em qualquer lugar ou situação que você esteja enfrentando.

Esta é uma das decisões mais difíceis para ser tomada. Muitas vezes somos levados a cancelar, ou segundo a linguagem da área "chamar um mergulho", por estarmos emocionalmente abalados, ou pelo excesso de confiança, prepotentes e arrogantes, ou mesmo por aspectos físicos como um enjôo, uma dor de cabeça. Mas saibam, esta é a melhor decisão que você deve tomar, pois, trata-se da sua vida.

Ao retornar ao barco ou comentar com amigos, uma das coisas que tão logo as pessoas pensam é em você ter "queimado dinheiro"  e de fato, você o faz, pois os custos para uma saída de mergulho são bem salgados e quando o cancela, seu dinheiro não é devolvido, você assume total responsabilidade. Mas este valor investido é nada perto da sua tão preciosa vida.

Quando estiver na água e não se sentir bem por alguma razão, não importa a profundidade, e estiver inseguro sobre o passo seguinte, não tenha dúvida, chame o mergulho. Eu mesmo já estou colecionando bons episódios onde abortei o mergulho. Na Laje de Santos em minha primeira vez (clique aqui para ler meu post sobre esta aventura), em um treinamento do Advanced na represa (leia o post clicando aqui), recentemente no Victory 8B em Guarapari (clique aqui e leia o post). Eu retornava ao barco puto comigo mesmo. As vezes com raiva de eu não ter enfrentado algum medo, frustado comigo mesmo por desejar tanto realizar determinado mergulho e a minha ansiedade ter me derrubado. Em muitos destes momentos eu conversava com meus instrutor, Cesar Gentile, para relatar o que houve e ele sempre me ajudou a refletir sobre a minha postura.

Ter passado por estas experiências foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido. Todas elas tem me colocado com os pés bem no chão durante a minha formação como mergulhador. Os mergulhos que fiz na sequência de cada episódio onde abortei, foram excelentes, pois estava mais seguro, melhor preparado para determinadas situações. E tudo isso tenho levado para a minha vida pessoal.

Mas, uma regra muito importante dentro do mergulho que aprendi e que levo para a minha vida profissional e pessoal é a famosa expressão "Rasgar o Samba". Quando um mergulhador abortar não se questiona, não se discute tal decisão. Ambos retornam para a superfície. Logo, certas decisões tomadas em grupo, mesmo que sejam contra a sua vontade, mas se forem um consenso desta turma, não se discute, seguimos alinhados.

Resumindo meus amigos, não tenham medo ou vergonha de abortar um mergulho. Melhor perder um do que vários!

Até a próxima!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário