domingo, 22 de setembro de 2013

St Maarten, um belo destino para você mergulhar

Caros amigos,

Hoje meu post é para falar de um belo lugar no meio do Caribe, trata-se da ilha de St. Maarten ou Saint Martin. A ilha foi meu primeiro destino oficial para mergulho em águas internacionais. Em breve, vocês terão a oportunidade de ler mais posts sobre esta aventura. Hoje falarei de forma mais geral sobre este paraíso Caribenho.

Uma curiosidade muito interessante sobre a ilha é que um lado dela pertencia a Holanda e o outro ainda está sob o comando da França. O lado holandês já é muito americanizado, a moeda local é dólar, enquanto que no outro tudo roda em torno do Euro.

No campo do mergulho, o lado holandês é o que oferece o maior número de pontos, ao todo são 17 locais para você cair nas lindas águas azuis, com visibilidade podendo chegar aos 50 metros. Já o lado francês oferece 03 pontos, sendo 02 em uma ilha (Pinel Island) à uma boa distância St Maarten. O destino ainda é muito pouco difundido entre os brasileiros, e mesmo tendo visto pelo menos cerca de 10 operadoras, todas PADI, as operações ainda são muito pouco exploradas. Um dos pontos que eu acredito que precisam evoluir neste mercado, é copiar o esquema feito nas ilhas ABC (Aruba, Bonaire, Curaçao), onde você pode fechar pacotes de mergulhos e cilindros ilimitados, possibilitando você cair na água pela praia mesmo, sem uma embarcação. Ou seja, temos um parque de diversões para explorar. Logo, eis-me aqui como um novo embaixador deste lindo e encantador lugar.

Para ir pegamos um vôo em Guarulhos pela Copa Airlines, com conexão na Cidade do Panamá. Ao todo a viagem dura cerca de 8 horas. Alugamos um carro, um i10 da Hyundai, automático. Um bom automóvel, pois não dá para ficar circulando com táxi por toda a ilha. Ficamos hospedados no hotel The Westin, na praia de Dawn Beach, uma praia reservada, e muito próxima da fronteira com o lado francês. O hotel é um 04 estrelas muito bom, com excelente infra-estrutura, porém, do outro lado da ilha e leva um tempinho para se deslocar do aeroporto até ele.

Ao todo foram 07 dias de muito descanso, muito snorkeling, boa comida, e tranquilidade para recarregar as baterias. Nem preciso falar que apesar do preço em Euros, o lado francês era o que oferecia as melhores opções gastronomicas. Enquanto que no francês pudemos pagar pouco ao optar pelos Fast Foods típicos americanos. Até porque, com o dólar cada vez subindo mais e para manter nosso orçamento equilibrado tivemos que optar por comer nestas opções por alguns dias.

Sobre as praias, o lado francês oferece as mais belas. Meu destaque vai para Baie Orientale, Grand Case, Baie de Marigot, Baie Rouge e Baie Lounge. Porém, estas praias oferecem pouca infra-estrutura de atendimento de bares e restaurantes. Para alugar um par de cadeiras e guarda-sol pagamos em média 15 dólares. No lado holandês, além da praia do hotel, destacam-se Maho Bay, a famosa praia da cabeceira da pista do aeroporto Princess Juliana, cujos aviões passam a poucos metros da sua cabeça, isso mesmo, não era coisa de filme não. Além delas, Simpson Bay, Cole Bay Beach e Philipsburg Great Bay, o único problema desta praia é que muito próxima do porto onde param os navios de cruzeiros, logo, vira uma Praia Grande chique.

Enfim, se você pretende viajar ao Caribe, vá para St Maarten, sem medo. É uma excelente opção. Em meu próximo post começo a falar sobre a minha aventura mergulhando por lá, e em especial no Shark Dive, um dos melhores mergulhos de toda a minha vida.

Até a próxima!!!

Ao pousar um pouco da vista que nos aguardava

The Westin Dawn Beach

A praia do The Westin





Baie Rouge (lado francês)

Centro de Marigot (lado francês)

Vista do lado holandês

Vista da Philipsburg Great Bay


O pouso na pista do Princess Juliana Airport, passando pela Maho Beach

Nenhum comentário:

Postar um comentário