domingo, 22 de julho de 2012

Não pára, não pára, não pára: Pós-curso - praticando e se divertindo - parte 2

Meus amigos, este post descreverá mais alguns dos meus aprendizados e aventuras pós-curso. Desta vez eu relato os meus mergulhos de número 07 e 08, realizados em abril, durante o feriadão de Páscoa. Eu sempre procuro aproveitar os feriados para em um dos dias fazer uma saída.

Um aprendizado que eu quero dividir com vocês é sobre a importância do registro de cada um dos seus mergulhos no LogBook. Este é um diário onde você deverá descrever sempre com riqueza de detalhes cada uma das suas aventuras. A medida em que você cria o hábito cada vez mais e mais consegue relatar, aperfeiçoar e refletir sobre suas descidas. Em breve escreverei um blog específico sobre este tópico, por hora, eu gostaria de dividir um pouco sobre ele com vocês, para não deixar passar em branco e correr o risco de me esquecer, e principalmente porque em relação ao post anterior vocês verão uma riqueza maior de detalhes.

Os mergulhos ocorreram no dia 06 de abril de 2012, e com o apoio do Cesar Gentille da Cesar Dive Team, conheci uma nova operadora, a Universo Marinho (http://www.universomarinho.com.br) do Andreoli, cara muito gente boa, pois desta vez o destino foi diferente dos anteriores.

A estrutura oferecida pelo Andreoli em São Francisco da Praia, São Sebastião, local de onde partimos, é impressionante, pois ele conseguiu agrupar no local uma escola de mergulho, uma pousada para hospedagens e ponto para saída da embarcação.

Esta foi mais uma experiência interessante de saída para mergulho, pois além de um novo ambiente, eu estava diante de uma turma em saída de mergulho também desconhecida, bem como, desprovido da presença do meu instrutor ou outro colega da Cesar Dive.

Partimos rumo a Ilha Bela, nosso destino foi a Ilha dos Búzios (http://www.brasilmergulho.com/port/points/sp/buzios.shtml), o tempo com muito sol mas bem agradável prometia uma bela aventura.

Ao chegarmos na Ilha recebemos as devidas instruções, fomos nos equipar e o Dive Master passou as informações sobre a temperatura da água que estava em 23 graus e a visibilidade de 10 metros. Eis uma nova experiência. Com a Universo Marinho cada mergulhador monta o seu próprio equipamento, coisa que não houve com os meus mergulhos anteriores pela NDS. Na minha opinião foi muito bom viver esta situação, pois você começa a ficar mal acostumado, esperando que alguém monte para você e seu trabalho seja apenas cair na água.

Definidos os duplas caimos na água, iniciando meu ar com 200 bar e finalizando com 30 bar, aqui mais um aprendizado e vocês logo entenderão. O mergulho durou 50 minutos.

Trabalhando em dupla o grupo todo permaneceu junto e isso para mim foi muito desconfortável, pois ficávamos muito colados uns nos outros causando batidas, nadadeiras esbarrando em algum colega, cilindro batendo e etc. Além disso, durante o trajeto, ou mesmo quando foram definidas as duplas eu pouco conversei com meu parceiro, logo, não havia entrosamento algum e as dificuldades de comunicação fizeram com que eu chegasse com o meu cilindro 30 bar, pois quando eu estava em cerca de 80 bar já o avisava para retornar e ele não entendia ou demorou para se ligar de nosso retorno. Mesmo trabalhando em grupo em muitos momentos nós nos distanciavamos do grupo.

A falta de condicionamento físico também influenciou muito, pois até então não vinha frequentando a academia constantemente, logo meu consumo de ar foi rápido, além disso, ter ficado um intervalo de tempo sem mergulhar me causou uma certa fobia e levei tempo para me acalmar e dominar a respiração.

Não vimos tanta diversidade de espécies como eu vi na Ilha Vitória, mas uma curiosidade interessante deste ponto foi o de visitarmos uma área com pedras que se parecessem estátuas, porém, entre tantas situações de stress eu só me dei conta na última, quando vimos uma pedra em forma do Cristo Redentor.

Esta foi a primeira vez que mergulhei com meus próprios equipamentos (roupa, nadadeira, máscara) e me senti muito seguro com eles. A roupa protejeu bem, não senti frio algum. O único problema que enfrentei com os equipamentos foi o cinto de lastro (12kg) que não estava bem preso, ele se movimentou muito, em um dado momento os pesos estavam na parte da frente do corpo.

Ao regressarmos para a embarcação enfrentamos uma reversão climática, o vento começou a ficar muito forte, fazendo com que o nosso 2o mergulho fosse realizado em outro ponto. E lá fomos nós.

O 2o mergulho ocorreu no Costão do Quebra-Côco, em Ilha Bela, onde encontramos a água com 23 graus de temperatura e visibilidade de 09 metros. O tempo foi de 50 minutos. A pressão inicial do cilindro era 200 bar e final de 50 bar.

Neste mergulho me concentrei em equilibrar melhor a respiração, o que fez com que o meu tempo de mergulho fosse um pouco maior.

Não consegui equilibrar muito bem a minha flutuabilidade, novamente a dificuldade de percorrer o percurso em grupo atrapalhou muito.

Sobre as espécies desta vez chegamos a ver um polvo, e o Dive Master viu uma tartaruga e uma raia.

Ao chegar aos 50 bar informei ao meu dupla e ao Dive Master que me deu um sinal, mas não entendi bem, pois ele me pediu para ficar próximo a ele, mas acabei subindo e seguindo quase já em superfície, administrando assim melhor o meu ar e chegar tranquilamente.

Ao final percebi que a minha falta de preparo físico e de um longo tempo de ausência do mergulho atrapalharam bastante o controle da minha respiração e desempenho geral. Então, deixo aqui dois conselhos aos amigos que queiram entrar neste universo. O primeiro: logo depois de tirar a sua certificação continue mergulhando periódicamente, não volte depois de longos períodos, quando você chegar a pelo menos 20 mergulhos aí sim estará muito mais seguro para ficar num intervalo maior para cair na água. O segundo: cuide de seu preparo físico. Seja caminhar em uma esteira, correr na rua, e fazer alguns exercícios como alongamentos e puxar alguns pesos para fortalecer a musculatura. Deste dia em diante eu passei a direcionar meus programas na academia para me preparar melhor para os mergulhos e não me arrependi.

É isso meus amigos, espero que tenham gostado de mais este relato.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário